Paraná pode ter 30 mil casos de Covid-19

Realizamos nesta terça 24/03  mais uma sessão plenária de maneira remota. Durante à reunião, o secretário estadual da Saúde, Beto Preto, explicou que o Paraná deve ter 10 mil casos de Covid-19 no pico da epidemia, mas se prepara caso esse número chegue a 30 mil. Também afirmou que, o Estado conta com 200 leitos de UTIs a mais para o caso da epidemia chegar a 40 dias e que se a situação ultrapassar esse período, ainda será possível contratar até 600 novos leitos. Segundo o boletim divulgado nesta terça-feira, são 2500 casos notificados até o momento. 1844 suspeitos e 70 confirmados. Foram descartados 197 casos. Dez destes casos foram contabilizados nas últimas 24 horas: em Curitiba (6), Telêmaco Borba (1), Paranavaí (1), Cascavel (1) e um caso de paciente residente fora do Estado (Brasília). Os pacientes são sete mulheres e três homens com idades entre 23 e 70 anos. Metade das confirmações vem de pessoas que estiveram em São Paulo, Rio de Janeiro, Bahia, Dubai e Itália.

Deputado propõe isenção do pagamento de estacionamento para pacientes com quimioterapia e radioterapia.

Deputado propõe isenção do pagamento de estacionamento para pacientes com quimioterapia e radioterapia.

Projeto de Lei protocolado na Assembleia Legislativa do Paraná.
Projeto: Deputado Estadual Gilberto Ribeiro.

Ficam dispensados de pagamento das taxas referentes ao uso de estacionamento, cobradas por hospitais do Estado do Paraná, os pacientes que estiverem submetidos à sessão de quimioterapia e radioterapia..

A quimioterapia e radioterapia um dos alicerces no tratamento do câncer, consiste na utilização de medicamentos que atuam principalmente nas células malignas, com o objetivo de destruir ou inibir seu desenvolvimento. Dependendo do tipo da doença, o paciente pode precisar de quimioterapia e radioterapia.até cinco vezes ao mês, com duração de até sete horas por sessão. Durante o período em que o paciente se submete aos tratamentos, o estacionamento é cobrado sem interrupções, tornando o valor muito caro e inviável.

 

Preso paga pela tornozeleira Se não pagar não sai …

tornozeleiragilbertoribeiro

Dispõe sobre o custo da utilização de braceletes eletrônicos de vigilância e dá outras providências.

Art. 1° Fica estabelecido, no âmbito do Estado do Paraná, que o custo sobre a utilização e manutenção do bracelete eletrônico de vigilância (tornozeleira eletrônica) deverá ser arcado pelo recluso que usufrui deste benefício.

Parágrafo único. Os valores referidos neste artigo serão recolhidos junto à Secretaria de Estado de Segurança Pública e Administração Penitenciária.

Art. 2º No caso de descumprimento com o disposto nesta Lei, o recluso ficará sujeito às condições de descumprimento da medida do uso do bracelete eletrônico de vigilância previstas no Código de Processo Penal vigente e demais leis correlacionadas.

Art. 3º Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação.

JUSTIFICATIVA

O referido projeto de lei tem como principal objetivo obrigar aos condenados que utilizam a tornozeleira eletrônica a arcar com o custo das mesmas, reduzindo assim o gasto dos cofres públicos.

A utilização do bracelete eletrônico de vigilância vem se tornando uma alternativa comum para a redução da população carcerária em nosso país. A superlotação em nossas cadeias é prejudicial em diversos assuntos. Todavia, queremos entrar em apenas uma questão: o custo gerado aos Estado.

Segundo dados da Secretaria de Segurança Pública, um preso custa em média R$ 3 mil aos cofres estaduais em nosso Estado, o que gera um impacto muito grande ao orçamento. E essa conta é arcada cada dia por nós, cidadãos paranaenses. O orçamento total para manutenção dos presídios nesse ano é de R$620,6 milhões.

Ocorre que, muitos desses presos, que representam um alto custo ao Estado, poderiam estar utilizando o benefício da tornozeleira eletrônica, mas não o fazem por falta de capacidade do Estado em arcar com o custo e manutenção deste aparelho.

Atualmente, possuímos cerca de 3,2 mil monitorados pelo sistema da braceleira eletreletrônica gasto médio de R$300 por beneficiário. Com uma conta simples, chegamos ao custo de R$960 mil somente com tornozeleiras eletrônicas.

Obrigando que os presos arquem com o custo das tornozeleiras (cerca de R$ 300 por mês), estaremos contribuindo, de imediato, com a economia de quase R$ 1 milhão ao nosso Estado.

É dinheiro que poderia estar sendo investido em diversas outras áreas que demandam urgentemente de atenção e zelo pelo poder público. Ainda, com a possibilidade do preso arcar com o custo, aqueles que estão presos e que tem direito ao benefício poderão utilizar os braceletes eletrônicos e gerar uma economia ainda maior aos confres públicos do nosso Estado.

Assim, contamos com o apoio para aprovação deste projeto.

Sala das Sessões, 23 de agosto de 2016.

 GILBERTO RIBEIRO

 

Gilberto Ribeiro é Cidadão Honorário de Campina Grande do Sul

930521a4-4098-481c-b59c-c4589127435aNesta segunda (27), o deputado estadual recebeu o título de Cidadão Honorário da cidade de Campina Grande do Sul.

 

 

Veja as fotos:

Com volta às aulas, é bom lembrar que uso de celulares em sala de aula é proibido

0000000000000001A Lei 18.118, sancionada pelo governador Beto Richa (PSDB) e publicada no Diário Oficial do Estado do Paraná em 24 de junho de 2014, proíbe o uso de celulares e equipamentos eletrônicos em sala de aula. O objetivo desta Lei, que teve a autoria do deputado estadual Gilberto Ribeiro (PR), tem como objetivo evitar que alunos de ensino fundamental e médio desviem sua atenção das aulas. A utilização de equipamentos eletrônicos como tables, celulares, smartphones, dentro de sala de aula, podem causar a desatenção do aluno, provocando a diminuição do rendimento escolar.

De acordo com a Lei, os equipamentos podem ser utilizados sempre que os professores julgarem necessário e para fins de aprendizado.

Vale frisar que a Lei 18.118 é válida desde 24 de junho de 2014 e deve ser aplicada pelos professores em sala de aula. (Rodini Netto)

Grupo Raabe, visita Gilberto Ribeiro

Foto: Visita do Grupo RAABE, que defende mulheres vítimas de violência doméstica.// Você mulher, que está sofrendo procure ajuda, ligando para 3025 5690 - ramal 264 .//<br />
RAABE - Rompendo o Silêncio.//

Visita do Grupo RAABE, que defende mulheres vítimas de violência doméstica.

Você mulher, que está sofrendo procure ajuda, ligando para 3025 5690 – ramal 264.
RAABE – Rompendo o Silêncio.//